quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

MAIS UM ANO QUE SE VAI ...!

 
Estamos na reta final para mais um final de ano. E normalmente nos perguntamos – o que construímos no ano que está chegando ao fim?; quais das nossas metas projetadas conseguimos realizar?; quais não conseguimos realizar? Por que?; quais os obstáculos conseguimos vencer durante esse ano e quais obstáculos nos deixamos vencer?

Vivemos numa sociedade que lhe diz o tempo todo que você tem que ser um vencedor. E o pior: para essa sociedade, ser vencedor significa obter sucesso financeiro, status, fama ou grandes realizações.

Tudo o que aprendemos sobre o ter sucesso está fora de nós mesmos. Perdemos a simplicidade do viver em função de valores internos; perdemos a capacidade de reconhecer as pequenas conquistas, esquecendo que as grandes realizações nada mais é que a soma da pequenas conquistas.

Dentro dessa perspectiva, toda adversidade que frustra nossos desejos imediatos, nos parece ser grande demais, além nas nossas forças para suportá-la. Daí surge, muitas vezes, o desejo de desistir, às vezes até mesmo desistir de viver.

Esquecemos que o verdadeiro sentido da vida não está nas conquistas materiais, e sim, nas conquistas interiores; no quanto aprendemos conhecer à nós mesmos; no quanto crescemos como pessoa.

Os obstáculos- podemos torná-los pedras de tropeço, para nos jogar no fundo do poço, ou podemos utilizá-los como degraus, que nos tornarão cada vez mais experientes e sábios, e nos levarão cada vez mais próximo do encontro com a gente mesmo.

O desejo de uma vida sem frustrações e sem adversidades é uma verdadeira utopia, pois, eles são inerentes à existência e têm a função de nos fazer amadurecer e crescer como pessoa.

Pais que fazem todas as vontades dos filhos, que não permitem que tenham perdas e frustrações, que não permitem que tenham dificuldades no seu caminho, não estão ajudando-os em nada, pelo contrário, estão tirando deles a oportunidade de crescer, de tornarem-se pessoas capazes e responsáveis.

Antes de se sentir castigado ou de se achar injustiçado diante das dificuldades que a vida colocar no seu caminho, pense que lição você poderá aprender com ela, e com certeza, você estará cada vez mais perto de encontrar o verdadeiro sentido da vida.

A vida sempre nos dar a oportunidade de errar, e de aprender com o erro, para assim, poder acertar da próxima vez.

Não somos perfeitos, nem nunca seremos, mas podemos ser pessoas melhores à cada novo dia.

Se ao final do próximo ano, for para nós apenas mais um ano que se vai, ou se será um ano que fará a diferença, dependerá unicamente das nossas escolhas e atitudes.

Lembre-se, o que faz a diferença não é o que a vida ou os outros nos façam, mas sim, no que transformamos o que a vida ou os outros nos fazem.
 
Gilson Tavares
Psicanalista Clínico, Desenvolvimento de Pessoas e Treinamento Comportamental
Email: gilsontavares_psi@yahoo.com.br
Blog pessoal: www.gilsontavares.net

FELIZ NATAL!!!
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário